©  Núcleo de Informações sobre Medicamentos, com proposta de extensão do DCF/FURB,

     que visa ser referência em informação sobre Uso Racional de Medicamentos (URM).

Contador de Acessos

Rua Antônio da Veiga, 140 - Itoupava Seca 89030-903 - Blumenau - SC

Tel: 011-3456-7890

Please reload

Posts Recentes

Fatores de risco para hepatotoxicidade e ajuste da dose de paracetamol, os prescritores consideram adequadamente esse problema?

October 16, 2019

1/8
Please reload

Posts Em Destaque

Ministério da Saúde simplifica tratamento após exposição ao vírus HIV

December 1, 2016

 

O novo protocolo integra os três tipos já existentes: violência sexual, acidente ocupacional e relação sexual consentida.

 

 

Você sabia que existe um procedimento de profilaxia adotado toda vez que uma pessoa de alguma forma se expõe a um possível contágio de HIV? A portaria "Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas: Profilaxia Antirretroviral Pós-Exposição de Risco para Infecção pelo HIV" publicada na última semana Diário Oficial da União pretende simplificar o acesso nos serviços de saúde, assim como o procedimento para o profissional de saúde na hora do atendimento. O novo protocolo integra os três tipos já existentes: violência sexual, acidente ocupacional e relação sexual consentida.

 

 

A nova profilaxia passa a valer no Sistema Único de Saúde (SUS) ainda este mês. O documento recomenda a redução do tempo de acompanhamento do tratamento de seis para três meses. Para dar mais esclarecimentos sobre o assunto, o Revista Brasil desta terça-feira (29) conversou com o diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais, do Ministério da Saúde, Fábio Mesquita.

 

Segundo ele, o que está sendo feito é unificar os protocolos existentes em um protocolo único: "porque tanto faz, se você se expôs por uma contaminação de agulha, por uma violência sexual, ou por um acidente de estourar uma camisinha o seu risco de contrair HIV é o mesmo e a medida de tratamento é a mesma.” Ele esclarece que o protocolo recomenda que os medicamentos utilizados para o tratamento sejam ministrados até 72 horas após a exposição ao vírus, embora o ideal seja logo após a exposição.

 

O diretor informa ainda que em Vancouver, no Canadá, durante a conferência internacional de Aids,  a OMS anunciou que vai adotar um novo protocolo de tratamento inspirado no protocolo que o Brasil desenvolve desde dezembro de 2013.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Arquivo
  • Facebook Basic Square