Please reload

Posts Recentes

Saiba como se prevenir do coronavírus com as informações do ministério da saúde

March 30, 2020

1/9
Please reload

Posts Em Destaque

Medicamentos e o aumento do risco de desenvolvimento de pneumonia - Alerta sobre o uso de AINES no tratamento de febre

O site do International Society of Drug Bulletins - ISDB, publicou artigo IN THE MIDST OF THE SARS-CoV-2 PANDEMIA, CAUTION IS NEEDED WITH COMMONLY USED DRUGS THAT INCREASE THE RISK OF PNEUMONIA. que menciona os riscos de aumento de casos de pneumonia, principlamente em idosos associados á medicamentos de diversas classes terapêuticas. 

Segundo o artigo, o risco de desenvolvimento de pneumonia aumenta 1,7 a 3 vezes com uso de Antipsicóticos, opióides  e outros agentes sedativos, devido á sedação e consequente hipoventilação, asssociado ainda à efeitos sobre a imunidade.

Os inibidores da bomba de prótons, reduzem a acidez gastrica e aumentam a colonização bacteriana, também contribuindo para o desenvolvimento de pneumonia, o que ocorre em 30% a 54% dos casos.

Corticosteróides inalatórios, possuem efeitos imunodepressores e aumentam o risco de pneumonia em pacientes com asma e DPOC e podem aumentar em 37% o risco de pneumonia 

Há também debate sobre um risco possivelmente maior de complicações associadas aos inibidores da ECA e bloqueadores do receptor da angiotensina (ARBs).  Em pacientes com insuficiência cardíaca, doença cardíaca isquêmica ou hipertensão, mantendo o número de medicamentos necessários e ajustar o seu tratamento em conformidade parece mais importante de retirar IECAs ou BRAs.

Um trecho bastante importante do artigo  chama a atenção sobre os efeitos dos anti-inflamatórios não esteróides (AINEs).  As complicações respiratórias, sépticas e cardiovasculares da pneumonia são mais frequentes e grave se a febre for tratada com um AINE em vez de paracetamol.
Os AINEs podem ter contribuído para muitas mortes todos os anos em todo o mundo. Um forte argumento foi alegam que o uso indiscriminado de aspirina em altas doses contribuiu para a mortalidade dos Pandemia de influenza de 1918.
Na ausência de dados específicos sobre o COVID-19, o paracetamol parece menos provável de causar complicações.

segue o link para acesso ao artigo 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags